Em evento que reuniu os serviços do Centro-Norte brasileiro, residentes do HUGO apresentaram 16 trabalhos científicos – todos desenvolvidos a partir de casos atendidos na própria unidade

O Programa de Residência Médica em Ortopedia e Traumatologia do Hospital de Urgências de Goiânia (HUGO) foi um dos primeiros a ser estruturado no estado de Goiás. Essa referência e a seriedade com que é mantido, faz com que ele figure entre os mais completos e relevantes da região. Prova disso foi a participação dos residentes do HUGO no IX Congresso de Ortopedia e Traumatologia do Centro-Oeste Brasileiro e no I Congresso de Ortopedia e Traumatologia do Centro-Norte Brasileiro. Para a ocasião, a residência submeteu 16 trabalhos à aprovação da comissão científica organizadora do evento, sendo todos eles aprovados e apresentados durante o encontro, que foi realizado em Pirenópolis, entre os dias 17 e 19 de outubro.

Os residentes Ricardo Goulart, Meyrelles Rodrigues, Diego Nascimento, Murilo Borges, Adison Valente, Gabriel Fonseca, Sinval Dorneles, Gustavo Lobo, Aryell Assis, Lauro Brito e Paulo Vasconcelos foram orientados pelos médicos preceptores Evandro Esteves, Sérgio Lima, Daniel Ribeiro, Jefferson Soares e José Moisés de Oliveira, que também é supervisor do programa. O ortopedista Eduardo Goulart, que já concluiu a residência pelo HUGO e atua no cenário ortopédico da capital, também apresentou trabalho desenvolvido no hospital. Atualmente, o programa conta com 14 residentes em formação.

O serviço de Ortopedia e Traumatologia do HUGO é o que recebe mais demandas na unidade de saúde. Para se ter uma ideia, somente nos nove primeiros meses de 2019, a especialidade realizou mais de 16 mil consultas ambulatoriais e quase 9 mil procedimentos cirúrgicos. A maioria dos casos atendidos são considerados de alta e média complexidade. Por isso, casos raros puderam ser analisados, estudados e depois apresentados em trabalhos científicos – tudo sob a supervisão do Comitê de Ética em Pesquisa da instituição.

Entre os temas trabalhados pela equipe destaca-se a “Reconstrução de lesão de 4º quirodáctilo esquerdo com retalho Cross-finger reverso”, apresentado pelo residente Ricardo Goulart, que está no último ano da residência. Trata-se de uma técnica de cobertura, ainda com pouca publicação na Literatura Médica, que permite com que o paciente se recupere de uma forma mais rápida e, consequentemente, retorne à sua vida social o mais breve possível. Para Ricardo, “a atualização é o primeiro passo para a formação do médico, segundo ele, em especial do cirurgião, por isso, a importância de participar de congressos”, pondera.

“O HUGO recebe muitos pacientes de alta complexidade com lesões nas mãos, causadas por acidentes de trabalho ou motociclísticos e somos referência nesse tipo de tratamento. Então, nos congressos, ao mesmo tempo em que posso absorver conhecimento de outros colegas para usar nos pacientes que tratamos aqui, é uma oportunidade de levar o que produzimos no HUGO para que outros médicos usem nos seus serviços também. Assim, eles podem se espelhar na gente, no nosso serviço de referência”, conclui o médico residente.